Friday, October 02, 2009

TANGO, PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL DA HUMANIDADE


A Unesco declarou o tango Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, durante reunião na ultima quarta-feira, do Comitê Intergovernamental do organismo, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.


A informação foi confirmada à agência Telam (agência oficial argentina) pelo secretário de Cultura da cidade de Buenos Aires, Hernán Lombardi, que acompanhou, em Abu Dhabi, a decisão do comitê da Unesco.
"Essa é uma homenagem a todos os que sustentaram o tango durante muito tempo. Uma homenagem àqueles que mantiveram a tradição, transmitindo a poesia e a dança de geração para geração", disse Lombardi.


O diretor de Promoção Cultural de Montevidéu, Eduardo León Duter, disse que esse anúncio é fruto de um trabalho intenso e é um compromisso de ambos governos para proteger o tango e realizar projetos em comum.

A candidatura do tango (música e baile) para ser Patrimônio Cultural da Humanidade, foi apresentada, conjuntamente, em novembro de 2008, pelos governos das cidades de Buenos Aires, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai.


Em junho passado, de acordo com a imprensa argentina, numa avaliação da candidatura a Unesco já sinalizava que o tango poderia receber o título como "uma das principais manifestações da identidade dos habitantes do Rio da Prata". O Rio da Prata banha as duas cidades.
O tango é defendido há décadas como bem cultural nas capitais da Argentina e do Uruguai. No passado, habitantes das duas cidades costumavam discutir onde, de fato, esta arte tinha nascido, se em Buenos Aires ou em Montevidéu.


Antes da decisão da Unesco, o governo da cidade de Buenos Aires informou que, se o tango fosse reconhecido, deveriam ser criados uma orquestra oficial do tango do Rio da Prata e um centro de documentação desta arte, entre outras iniciativas para preservá-lo. Segundo historiadores argentinos, o dois por quatro (outra forma de chamar o tango) nasceu nos prostíbulos durante a imigração europeia, no início do século 20.


Desde então, o tango é identificado como cultura das cidades do Rio da Prata. As letras do tango, afirmam os especialistas, sugerem melancolia porque demonstram a solidão dos que saíram de países europeus para uma terra desconhecida.


Nos últimos anos, a musicalidade do tango foi renovada com o nascimento de grupos jovens que adotaram outros instrumentos, além do clássico bandoneón, para tocá-lo. E foram abertas dezenas de "milongas" (lugar para dançar esta música) na capital argentina.


Recentemente, no Campeonato Mundial de Tango realizado em Buenos Aires, um casal de japoneses que aprendeu a dança no Japão venceu a disputa na categoria "dança de salão". No entendimento das autoridades argentinas, foi a confirmação de que o tango já atravessou "há muito tempo" as fronteiras de Buenos Aires e Montevidéu.

Além do tango, outras 76 expressões culturais do mundo inteiro também disputaram o título de Patrimônio Cultural da Humanidade


Como a candidatura foi apresentada em conjunto pela Argentina e o Uruguai, os dois países deverão agora adotar medidas para promover e proteger o tango - para isso já apresentaram uma série de projetos que exigirão um investimento de um milhão de dólares, adianta a AFP.


A Unesco tem promivido, a par do património material (monumentos e lugares naturais), a proteção do chamado património imaterial, que reúne práticas e conhecimentos que caracterizam as culturas de determinados grupos ou comunidades e que se manifestam, por exemplo, em expressões orais, artes do espectáculo, rituais ou festas tradicionais. Um dos objetivos é preservar práticas deste tipo que estejam ameaçadas de degradação ou desaparecimento.


Portugal também prepara a candidatura do Fado a Património Imaterial da Humanidade, e o fato do tango já ter conquistado este estatuto pode ser uma boa notícia.


O tango nasceu no início do século XX quando muitos imigrantes europeus começaram a chegar ao Rio de La Plata. A tradição, que surgiu nos meios populares de Buenos Aires e Montevideu, alargou-se e a dança e a música são hoje conhecidas em todo o mundo e têm núcleos de fãs por todo o lado.


A notícia da classificação do tango foi recebida com muito entusiasmo na Argentina e no Uruguai e os dois países estão se preparando para um fim-de-semana de muitos festejos.



Astor Piazzolla, toca com grande orquestra, "Adios Nonino"





Fonte - Jornal "O Globo"

2 comments:

LENISE TOMASELLI said...

Humberto, estivemos recentemente na Argentina, deixo a dica a seus leitores que assistam ao show de Tango do Café Tortoni, dentre as milhares de opções de Tango Shows, escolhemos esta devido ao local ser um patrimônio histórico argentino e o show ser um tanto intimista, realizado em um salão no subsolo, compondo um ótimo cenário. Destaque para a violinista que além de tudo é belíssima.
O show vai da comédia ao drama em segundos. Imperdível.
Bjs

LENISE TOMASELLI said...

Humberto, recomendo o show de tango do Cafe Tortoni, no centro de BsAs. Escolhemos este lugar por que é intimista e de tradição centenária. O show e bonito, divertido, poético e seunsual. Destaque para a banda que acompanha ao vivo.
É necessário fazer a reserva e pagar antecipadamente. Recomendo o show que é relizado no sobsolo. O lcoal é intimista e tem um certo toque de nostalgia.